ULTIMAS NOTÍCIAS
By Silvano Silva ✔ | sexta-feira, 21 de julho de 2017 | Posted in | With 0 comments
Os prefeitos que representam o COGIVA (Consórcio Intermunicipal de Gestão Pública Integrada nos Municípios do Baixo Rio Paraíba), formado por 16 cidades, estão reivindicando a reabertura do Rodo-shopping localizado no município de Gurinhém, mas bem próximo do distrito do cajá, que atualmente se encontra abandonado e deteriorado. Segundo o presidente da entidade municipalista, prefeito George Coelho  (PSB), da cidade de Sobrado/PB, inicialmente os prefeitos visitaram in locu o Rodo-shopping ao lado do Secretário Estadual de Articulação Municipal Buba Germano e do diretor Técnico do SEBRAE/PB, Dr. Luiz Alberto, em seguida se reuniram na Câmara Municipal de Gurinhém. “Visitamos para ver a realidade na qual se encontra o prédio do Rodo-shopping , ao lado do secretário Buba Germano, do diretor técnico do Sebrae, Dr. Luiz Alberto e de vários prefeitos que fazem parte do Gogiva. Estamos provocando o governo do estado. O nosso consórcio abrange 16 municípios, mas também muitos dos municípios abrangem essa área do rodo-shopping, então seria muito interessante que esse equipamento voltasse a funcionar porque vai servir a todos os municípios, através da instalação de órgãos do governo estadual e geração de emprego e renda, algo que mais precisamos para o povo. O que está faltando ali é renovar a estrutura, acredito que o custo não deve ser  tão alto e o  Gogiva administrará”, destacou George, afirmando que os prefeitos não terão custo nenhum e que a sede da entidade será lá. “Nesse caso os prefeitos não irão investir financeiramente no rodo-shopping e vamos levar a sede do Cogiva para lá e quem colocar um boxe comercial, pagará um aluguel social para manter a estrutura e o funcionamento, como água e energia. Acredito que o governo vai nos atender e resolver os problemas de estrutura do prédio”. O presidente do Cogiva adiantou que o SEBRAE vai elaborar o projeto, que será entregue ao governador Ricardo Coutinho pelo secretário Buba Germano, para que em 2018 possa funcionar. “Vamos entregar o projeto ao governador, através do secretário de Estado Buba Germano. O SEBRAE está encampando essa luta conosco e vai elaborar o projeto. Acredito que no próximo ano estará tudo funcionando”. O prefeito de Gurinhém/PB e anfitrião Dr. Cláudio Madruga (PMDB), coordenou toda a discussão, defendendo a restruturação e sua otimização. “Nossa visita ao Rodo-shopping foi para ver como ele se encontra hoje. Através de vários prefeitos que fazem parte do consórcio Cogiva, com a presença do secretário estadual de articulação municipal Buba Germano, da consultoria técnica do Sebrae, na pessoa de Dr. Luiz Alberto, demos um grande passo, que é reabrir aquele espaço, ter um serviço público para ser um atrativo, agregando a isso a geração de emprego e renda, através de tecelagem, da agricultura familiar, entre outros. Quem vai ganhar com isso é o povo, não só de Gurinhém, onde aquela obra está instalada, mas o povo da PB”. Segundo Cláudio Madruga, o Cogiva foi criado para discutir, inicialmente a problemática do lixo nos municípios, mas se elasteceu. “O nosso consórcio Gogiva, foi criado inicialmente, para tratar do problema do lixo, mas ele se elasteceu e está trabalhando na área da educação, a gente está pensando de ir para a saúde e o que pensei para aquele rodo-shopping, que Buba disse que a primeira vista poderia encontrar um problema com a ANVISA, seria, além de uma casa da cidadania, se ter atendimento especializado na área de saúde, tipo uma policlínica e o restante para geração de emprego e renda. Sabemos que a saúde é um problema não só em Gurinhém, mas no Brasil. Vivo Esse momento  impar para mim, pois estaremos dando destino a um elefante branco que voltará a servir ao povo da Paraíba”, declarou o prefeito de Gurinhém.
Participaram da visita e discussão, o secretário estadual Buba Germano, o diretor técnico do SEBRAE da Paraíba, Dr. Luiz Alberto, os prefeitos George Coelho (Sobrado), Cláudio Madruga (Gurinhém), Dr. Lúcio (Itabaiana), Dr. Benício Neto (Pilar), Alberto (Mogeiro), Paulo Dália (Juripiranga), Caldas Brandão (Saulo Rolim), Deputado João Gonçalves, vereadores Acássio e Itamar (Gurinhém), secretários municipais  Nicete e Sabrina Rolim (Caldas Brandão).
O Cogiva é constituído pelas seguintes cidades: Sapé, Mari, Sobrado, Riachão do Poço, Caldas Brandão, Mogeiro, Itabaiana, Salgado de São Félix, Pilar, Juripiranga, Gurinhém, São Miguel de Itaipu, Cruz do Espírito Santo, São José dos Ramos, Ingá e Riachão do Bacamarte.
Ofarolpb.com
By Silvano Silva ✔ | | Posted in | With 0 comments

 Denúncia contra Temer: bancada da PB será 25ª a votar
Com a presença de 51 parlamentares, a sessão poderá ser aberta. A Ordem do Dia poderá ser iniciada com quórum de 52 deputados. Neste momento, falará, por 25 minutos, o deputado Paulo Abi-Ackel (PSDB-MG). Em seguida, Temer ou seus advogados terão igual tempo na tribuna. Assim como na votação do pedido admissibilidade do impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT), os deputados paraibanos serão uns dos últimos a votar, já que a metodologia usada será a mesma.

Abi-Ackel apresentará o parecer aprovado pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ) na semana passada, recomendando ao plenário que negue a autorização para que o STF abra processo com base em denúncia do procurador-geral da República, Rodrigo Janot.

Janot denunciou Temer por crime de corrupçãoo passiva com base em gravações e delação premiada dos irmãos Joesley e Wesley Batista, donos do grupo J&F – que controla o frigorífico JBS e outras empresas. A defesa de Temer deve repetir no plenário os argumentos apresentados à CCJ, ressaltando que não há provas e que a denúncia se baseia em suposições.

Debates

Após as falas do relator e da defesa, os deputados inscritos poderão discutir o tema por até 5 minutos cada, alternando-se entre contrários e favoráveis ao parecer de Abi-Ackel. Após quatro oradores e se houver pelo menos 257 parlamentares presentes, poderá ser votado requerimento para encerramento da discussão.

A votação só será aberta com a presença em plenário de 342 deputados – o equivalente a 2/3 do total de 513. Esse é o número mínimo de votos para aprovar ou rejeitar o parecer, segundo a Constituição. “Podemos começar a discussão com qualquer quórum, mas só podemos começar a votação com 342”, disse o presidente da Câmara, Rodrigo Maia. “Qualquer decisão diferente desta significa risco de o Supremo cancelar a votação”, ressaltou.

Nesta fase, dois oradores contrários e dois favoráveis ao parecer usarão a palavra por 5 minutos cada, e os líderes terão 1 minuto cada para orientar as bancadas. Em seguida, os deputados votarão nominalmente, respondendo “sim” ou “não”, conforme apoiem ou rejeitem o parecer. Também poderão se manifestar pela “abstenção”.

Chamada nominal

Como na votação da admissibilidade do pedido de impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff, em 2016, os deputados serão chamados começando por um Estado do Norte, seguido por um estado do Sul – e vice-versa, continuando-se assim, sucessivamente, passando pelos demais estados e pelo Distrito Federal. Naquela ocasião a ordem foi a seguinte: Roraima, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Amapá, Pará, Paraná, Mato Grosso do Sul, Amazonas, Rondônia, Goiás, Distrito Federal, Acre, Tocantins, Mato Grosso, São Paulo, Maranhão, Ceará, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Piauí, Rio Grande do Norte, Minas Gerais, Bahia, Paraíba, Pernambuco, Sergipe e Alagoas. Dentro de cada Estado, a chamada de deputados será feita por ordem alfabética.

Após a chamada de todos os parlamentares de um Estado, serão chamados os ausentes. Se houver pelo menos 342 votantes, o resultado será proclamado. Caso esse número não seja atingido, outra sessão será convocada, para nova votação.

Resultado

Conforme a Constituição, quando o presidente da República é acusado por um crime comum, como corrupção passiva, o julgamento cabe ao Supremo, mas o processo só pode ser aberto após autorização da Câmara. No caso específico desta denúncia contra Temer, como o parecer da CCJ é contrário, a autorização só será aprovada se houver voto “não” de pelo menos 342 deputados.
Pbagora
By Silvano Silva ✔ | | Posted in | With 0 comments

 Belo e Fortaleza brigam pela vice-liderança da Série C
Após três derrotas seguidas, o Botafogo tem hoje a oportunidade de se reabilitar no Campeonato Brasileiro da Série C, e também quebrar um tabu de nunca ter vencido o Fortaleza na competição, desde 2014. A partida será válida pela 11ª rodada do grupo A, e está programada para as 21 horas, no Estádio Almeidão, em João Pessoa. O jogo terá a arbitragem de um trio do Paraná.

O árbitro central será Edivaldo Elias da Silva, auxiliado por Daniel Cotrim de Carvalho e Diogo Morais. A diretoria do Botafogo aposta num grande público hoje à noite no Almeidão. Durante toda a semana, os dirigentes botafoguenses fizeram um apelo para que os torcedores comparecessem em massa, e empurrassem o time para cima do Fortaleza.

O Belo fez até uma promoção de ingressos. A arquibancada geral será toda de torcedores com ingressos do Gol de Placa. Para a arquibancada principal, os preços caíram para R$ 20,00 a inteira, e apenas R$ 10 a meia. E nas cadeiras, a Inteira custa R$ 40, enquanto a meia R$ 20.

Uma redução de 50 por cento, em relação aos preços que vinham sendo praticados durante a competição. Com 14 pontos, em quarto lugar, o Belo precisa vencer para não sair do G4. Será um jogo de 6 pontos, já que o adversário tem 15 pontos e é o segundo colocado. Depois de 3 derrotas, o técnico Itamar Schülle chegou a prometer uma vitória hoje e até arriscou que a equipe terminaria a rodada em segundo lugar.

Sem nenhum problema médico, nem de suspensão, o Botafogo vai para esta partida com a força máxima, inclusive com os quatro últimos reforços contratados na semana passada. O treinador faz mistério, e não adiantou qual será o time titular, mas a possibilidade de haver mudanças é grande, diante dos resultados negativos dos últimos jogos. Se depender dos treinos abertos realizados durante a semana, é provável que alguns dos novatos entrem, pelo menos, durante a partida. Provavelmente, o Belo deverá entrar em campo com o mesmo time que começou o jogo contra o Cuiabá, no domingo passado, ou seja: Michel Alves, Lito, Plínio, Bruno Maia e Alisson; Djavan, Magno, Cleyton e Marcinho; Dico e Rafael Oliveira.

No Fortaleza, a expectativa é pela volta do artilheiro da equipe no ano, Lúcio Flávio. Ele foi liberado pelo DM, e deverá fazer dupla de ataque com Paulo Sérgio. A equipe veio para João Pessoa bastante pressionada pela torcida. Apesar de ocupar a segunda posição na tabela de classificação, com 15 pontos, os torcedores estão insatisfeitos com o rendimento do time, e chegaram a fazer manifestações violentas no início da semana, ameaçando inclusive os jogadores.

Pbagora
By Silvano Silva ✔ | | Posted in | With 0 comments

A Secretaria de Educação, Cultura, Esporte e Turismo em parceria com a Secretaria de Saúde do município, promovem através do Programa Saúde na Escola (PSE), ações nas unidades da rede municipal de ensino com ênfase na promoção em saúde bucal.
Atendendo recomendação do Prefeito Roberto Feliciano, o PSE local está trabalhando  com o objetivo melhorar a qualidade de vida de alunos da rede  escolar do município, através dessas importantes ações entre a comunidade escolar e a equipe das unidades de saúde.
Durante os meses de julho e agosto, numa ação conjunta, está sendo realizada nas escolas, avaliação da saúde bucal dos alunos, bem como orientação sobre a forma correta de escovação, cuidados com a higiene bucal, como também a aplicação tópica de flúor e distribuição de kits de higiene bucal.
O Prefeito Roberto Feliciano destacou a importância deste trabalho junto às escolas municipais, que está proporcionando condições para que as crianças tenham acesso a assistência em saúde bucal sem ter que se deslocar para outro local.


Secom
By Silvano Silva ✔ | | Posted in | With 0 comments

Com a imagem fragilizada pela denúncia de corrupção passiva apresentada pela Procuradoria-Geral da República, o presidente Michel Temer abriu mão de uma indicação política e decidiu agradar ao setor artístico com a nomeação do jornalista Sérgio Sá Leitão para o Ministério da Cultura. O cargo estava vago desde 18 de maio, quando o deputado Roberto Freire (PPS-SP) deixou o posto, após a divulgação da delação do Grupo J&F, que atingiu Temer. 
A pasta da Cultura era cobiçada por parlamentares do PMDB e do Centrão, grupo de partidos que ganhou força desde que votou majoritariamente contra a admissibilidade da denúncia contra Temer na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara. A deputada Cristiane Brasil (PTB-RJ), filha do presidente nacional do PTB, Roberto Jefferson, se articulava para ser indicada ao cargo, mas enfrentou resistência por não ser da área. Nesta quarta-feira, 19, o próprio presidente informou que já tinha feito outra escolha. O deputado André Amaral (PMDB-PB) também queria o posto.
O Ministério da Cultura tem sido um problema para Temer, que vem enfrentando críticas do setor desde o início de sua gestão, quando chegou a extinguir a pasta – e depois recuou. Por isso, o presidente buscou um nome da área, que tivesse apoio para diminuir as resistências. 
Paes e Maia. Além das relações na área, o novo ministro também tem ligações políticas. Ele é próximo de Roberto Freire, seu antecessor no comando da pasta, e do ex-prefeito Eduardo Paes (PMDB-RJ). A indicação também agradou ao presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), que será o responsável por comandar a votação da denúncia contra Temer no plenário da Casa, em 2 de agosto. Primeiro na linha sucessória da Presidência, Maia assume o comando do País no lugar do peemedebista, caso a denúncia seja aceita e Temer, afastado do cargo.
Maia negou que tenha influenciado na indicação do novo ministro da Cultura. Aliados do deputado do DEM, contudo, avaliam que Temer fez um “gesto diplomático” a ele, além de acenar ao PMDB do Rio, do qual Paes é integrante. 
Placar do Estado mostra que, dos 11 integrantes da bancada peemedebista fluminense, um já se posicionou a favor da aceitação da denúncia contra o presidente, seis estão indecisos ou não quiseram responder e quatro se disseram contra.
Desde que a denúncia por corrupção começou a tramitar na Câmara, Maia tem se mostrado distante do Palácio do Planalto. Na terça-feira, ele e Temer tiveram um atrito, após o presidente convidar parlamentares dissidentes do PSB a se filiar ao PMDB. Maia se irritou com o gesto, uma vez que, desde que o PSB deixou a base do governo, negocia a migração dos descontentes para o DEM. Temer acionou ministros para desfazer o mal-estar.
Em novembro do ano passado, Temer enfrentou uma crise com origem no Ministério da Cultura, quando foi gravado, em seu gabinete, pelo ex-titular da pasta Marcelo Calero. O ex-ministro – que deixou o ministério após o episódio – acusou Geddel Vieira Lima (PMDB), à época na Secretaria de Governo, de tê-lo pressionado a liberar a obra de um edifício onde possuía um apartamento em área tombada de Salvador.

Estadão 

By Silvano Silva ✔ | segunda-feira, 17 de julho de 2017 | Posted in | With 0 comments

Sine-PB oferece 321 vagas de emprego
 O Sistema Nacional de Empregos na Paraíba (Sine-PB) oferece, a partir desta segunda-feira (17), 321 vagas de emprego. Entre as oportunidades, há vagas para técnico de manutenção industrial, motorista carreteiro e agente de vendas e serviço.



As oportunidades de trabalho são distribuídas entre as seguintes cidades: João Pessoa (164), Campina Grande (49), Guarabira (35), Santa Rita (63), Patos (5), Bayeux (4) e Monteiro (1).



Mais informações podem ser obtidas pelos telefones (83) 3218-6619, 3218-6618 ou 3218-6624 (em João Pessoa) e (83) 3310-9412 (em Campina Grande). Para a inscrição, os interessados devem procurar a sede do Sine-PB, localizada na rua Duque de Caxias, 305, no Centro de João Pessoa (próximo ao Shopping Terceirão), com RG e CPF.



Confira a relação completa:



SINE JOÃO PESSOA – 164 VAGAS

50-TÉCNICO DE MANUTENÇÃO INDUSTRIAL

45-MOTORISTA CARRETEIRO

40-AUXILIAR DE LINHA DE PRODUÇÃO (PESSOA COM DEFICIÊNCIA)

10-AUXILIAR DE LOGÍSTICA (PESSOA COM DEFICIÊNCIA)

05-INSPETOR DE QUALIDADE

03-FARMACÊUTICO

02-MECÂNICO DE AUTO EM GERAL

02-MECÂNICO DE AUTOMÓVEL

01-FATURISTA

01-MANICURE

01-MECÂNICO DE REFRIGERAÇÃO

01-PINTOR DE AUTOMÓVEIS

01-AUXILIAR DE PINTOR DE AUTOMÓVEIS

01-BABÁ

01-ESTETICISTA


SINE CAMPINA GRANDE- 49 VAGAS

30-AGENTE DE VENDAS DE SERVIÇOS

07-AGENTE DE MICROCRÉDITO

04-OPERADOR DE ABASTECIMENTO DE COMBUSTÍVEL DE AERONAVE

02-MECANICO DE MANUTENÇÃO DE AR CONDICIONADO

01-COBRADOR VIAJANTE

01-EMPREGADO DOMÉSTICO NOS SERVIÇOS GERAIS

01-ENCARREGADO DE OBRAS

01-FISCAL DE LOJA

01-INSTALADOR DE MÁQUINAS

01-TÉCNICO EM SEGURANÇA DO TRABALHO


SINE GUARABIRA – 35 VAGAS

20- COSTUREIRA EM GERAL

12-SERVENTE DE PEDREIRO


01-GERENTE DE DEPARTAMENTO DE PESSOAL

01-OPERADOR DE BETONEIRA

01-AUXILIAR DE FAROLEIRO


SINE SANTA RITA- 63 VAGAS

10-VIGILANTE

10-MOTORISTA VIGILANTE

08-VENDEDOR DE SERVIÇOS

04-AUXILIAR DE ALMOXARIFADO

03-AUXILIAR DE COZINHA

03- BORRACHEIRO

03-DESTILADOR

03-AJUSTADOR MECÂNICO

03-ANALISTA DE RECURSOS HUMANOS

03-ELETRICISTA DE INSTALAÇÕES DE VEÍCULOS AUTOMOTORES

03-FERMENTADOR

03-MECÂNICO DE MANUTENÇÃO DE MÁQUINAS AGRÍCOLAS

03-TORNEIRO MECÂNICO

03-OPERADOR DE CALDEIRA

01- TÉCNICO DE ENFERMAGEM DO TRABALHO


SINE PATOS – 05 VAGAS

05-CONFERENTE DE LOGÍSTICA


SINE BAYEUX- 04 VAGAS

01-AUXILIAR DE PEDREIRO

01- BORDADEIRA

01- CORTADOR DE ROUPA

01- MECÂNICO DE REFRIGERAÇÃO


SINE MONTEIRO – 01 VAGAS

01-OPERADOR DE CAIXA


Secom-PB
By Silvano Silva ✔ | | Posted in | With 0 comments

Ator paraibano Lucas Veloso é destaque nos Trapalhões 2017
Trapalhões em 2017 'driblam' politicamente correto com pastelão, diz Lucas Veloso, o Didico


Para ator, 'carinha de safado' é ponto em comum entre seu humor e o de Renato Aragão. Ao G1, ele fala sobre 'espírito Trapalhão' e adaptações no programa, que estreia nesta segunda (17) no Viva.  


ô, psit, é ieu! Didi? Não, Didico - ou Lucas Veloso, líder dos novos Trapalhões. O ator paraibano de 21 anos lança nesta segunda-feira (17) no canal Viva e em setembro na Globo o trabalho que considera “o divisor de águas” da sua vida. Em dois meses de preparação para o personagem, ele aprendeu que, para ser um membro da trupe, é preciso mais do que ser engraçado.


“O fundamental não é a voz ou uma gracinha. É o estado de espírito do Trapalhão. Depois, aí sim, vem a voz e o corpo”. E o que é esse tal espírito? Lucas explica ao G1:


“É a disposição de brincar com qualquer um, qualquer coisa, a qualquer momento. Mas sem a malícia do adulto. O Trapalhão ainda é uma criança.”


Qualquer coisa mesmo?

Embora a nova versão procure ser fiel à original, o ator admite que adaptações precisaram ser feitas em tempos de politicamente correto. “Os dias de hoje não permitem a gente fazer qualquer piada. Nossa geração está um pouquinho problemática com isso. Conseguimos trazer os anos 70 e 80 de volta, mas com o politicamente correto, que também é importante.”


Para ele, é possível brincar com minorias, desde que elas possam “rir de si mesmas”. Os artifícios do humor pastelão, que fizeram dos Trapalhões ícones brasileiros, hoje servem para “driblar” a patrulha, mas sem deixar conservador demais, diz Lucas. “O programa está leve. Não tem um humor bobo, mas está suave”. Ele completa:


“Às vezes, o politicamente correto encareta o humor. Nosso texto não ficou careta.”


'Carinha de safado'

Filho do humorista Shaolin, Lucas faz palhaçadas desde os 5 anos e, além do trabalho na TV, se apresenta pelo Brasil com piadas e imitações - ele tem um repertório de mais de 50 personagens, como Silvio Santos, Chacrinha, Marília Gabriela, Chico Anysio e Maria Bethânia. No ano passado, fez sua primeira novela, "Velho Chico".


Para o novo trabalho - que Shaolin comemoraria "por uns 15 anos", brinca -, fez ajustes no humor que aprendeu com o pai. "O humor que meu pai fazia e eu tem muito a ver com mostrar que você sacou alguma coisa que ninguém mais sacou. Já o trapalhão é o último a perceber o que está dando errado, mas é malandro. É o malandro ingênuo", explica. "Precisei me adaptar nisso, tirar o excesso de confiança". Mas ele vê semelhanças com o estilo de Renato Aragão:


"Renato tem uma carinha de safado, você ri da cara cínica dele. Eu tenho muito disso também, de fazer piadas absurdas com cara de que nada está acontecendo. Nós dois temos um humor nonsense, um pouquinho dissimulado, um pouquinho cruel até."


40 anos depois

Lançada em homenagem aos 40 anos do programa, a nova versão dos Trapalhões tem, além de Lucas, Mumuzinho (Mussa), Bruno Gissoni (Dedeco), Gui Santana (Zaca), Nego do Borel (Tião) e Ernani Morais (Sargento Pincel).


Renato Aragão e Dedé Santana participam. "Eles não precisavam se preocupar com quatro moleques que estão começando, mas nos deram uma atenção fora do comum. Nos ajudavam a passar o texto, estavam sempre com a gente", conta Lucas.


Em nove episódios, cenas históricas serão revividas - entre elas o musical “Papai eu quero me casar” - e esquetes inéditas incluirão elementos de 2017, como aparelhos tecnológicos. A essência, porém, é a mesma de 40 anos atrás, segundo o ator, e não deve desaparecer tão cedo:


"O projeto Trapalhões é maior do que qualquer ator, não pode durar só quarenta anos. Vou chegar aos 70 e falar: 'Fui um Trapalhão', vivi isso, morram de inveja'."


Foto: Divulgação/TV Globo

G1
By Silvano Silva ✔ | | Posted in | With 0 comments

As visitas íntimas e sociais são as brechas utilizadas pelos chefes das facções criminosas para burlar a vigilância do sistema penitenciário federal, o mais rigoroso do país. Por isso, o contato físico entre presos e familiares deve ser proibido de maneira definitiva. É o que defende, em entrevista ao UOL, Carlos Augusto Machado, presidente do sindicato dos agentes penitenciários federais no Paraná.
No Estado que abriga o presídio federal de Catanduvas (PR), dois servidores foram assassinados a tiros. Os homicídios aconteceram na cidade de Cascavel (PR) em setembro de 2016 e maio deste ano. Outro funcionário da prisão de Mossoró (RN) foi morto em abril deste ano.
As mortes foram ordenadas por um dos chefes do PCC (Primeiro Comando da Capital), de acordo com investigações da Polícia Federal e do Ministério Público Federal, com o objetivo de intimidar e desestabilizar servidores destas unidades prisionais. As ordens foram repassadas em visitas íntimas a presos.
"Se as visitas íntimas e sociais não forem definitivamente proibidas, não há motivo para a existência do sistema penitenciário federal", afirma Machado. "O principal objetivo da construção dos presídios federais ainda não foi alcançado: a quebra da cadeia de comando das facções criminosas."

AGENTE ALEX BELARMINO FOI MORTO EM SETEMBRO DE 2016

"É preciso ter claro que essa medida não é uma punição", diz o presidente do sindicato, que trabalha desde 2006 no presídio federal de Catanduvas.
"Trata-se de uma ação técnica que já é realidade nas unidades de segurança máxima de qualquer país, já que se sabe que é por meio desse contato social que ordens chegam às ruas para serem executadas. É assim que se mantêm os tráficos de armas e de drogas, por exemplo", acrescenta Machado.

Suspensão das visitas 

No começo deste mês, o diretor do Depen (Departamento Penitenciário Nacional), Marco Antônio Severo, assinou portaria que determina a suspensão temporária das visitas íntimas e sociais nos quatro presídios federais do Brasil. Os presos, em sua maioria membros de 25 facções criminosas do país, só poderão receber visitas feitas por videoconferência e por parlatório, onde não há contato físico.
Machado afirma que a decisão do órgão do Ministério da Justiça e Segurança Pública foi aplicada também por pressão exercida pelos agentes, após o assassinato da psicóloga Melissa Almeida de Araújo, na cidade de Cascavel (PR), no último dia 25 de maio.

AGENTE MELISSA ALMEIDA FOI ASSASSINADA EM MAIO DESTE ANO

"Nós nos posicionamos de maneira firme pela suspensão das visitas. Nós informamos ao Depen e à diretoria do sistema penitenciário federal que, se isso não fosse feito, nós pararíamos tudo. Nossa posição era a de que só seria feito o trabalho de segurança externa e, lá dentro, eles decidiriam o que iria ser feito em relação à rotina dos presídios."

570 pessoas em quatro presídios federais

Um dos objetivos da criação de presídios federais é o de isolar líderes das facções criminosas e diminuir seu poder de influência nos sistemas penitenciários de origem. Dados do Depen revelam que, atualmente, 570 pessoas estão presas nas quatro penitenciárias federais que oferecem um total de 832 vagas.
Folhapress
Dois agentes do presídio de Catanduvas (PR) foram assassinados
Com 161 integrantes detidos nestas unidades prisionais, o PCC é a facção criminosa com mais presos no sistema penitenciário federal. O número corresponde a 28,24% do total de detidos. Em seguida, aparece o Comando Vermelho, com 105 integrantes presos (18,42%) e, em terceiro lugar, está a FDN (Família do Norte), com 40 integrantes presos (7%).
"As ordens para decapitação de presos nos massacres do começo do ano saíram de dentro das cadeias. Então a própria massa carcerária se encontra refém das lideranças das facções. Os presos e seus familiares que são obrigados a cumprir essas ordens," afirma Machado.

Visita é direito dos familiares, dizem advogados

Um grupo de 42 advogados que defende detentos dos presídios federais se reuniu com o diretor do Depen na última terça-feira (11). De acordo com relatos de advogados, eles teriam ouvido de Severo a promessa de que a portaria não seria renovada ao término de sua validade, no dia 28 de julho. Familiares dos presos também participaram da reunião. 
"A visita não é um direito do condenado, é um direito do familiar. O sistema os obriga a casar e é direito deles estarem intimamente com suas esposas que não cometeram crime algum", afirma a advogada carioca Flávia Fróes. "Não é uma regalia do preso. É um direito da esposa assegurado pela Constituição e regulado pelo Código Civil", acrescenta.
"Se algum preso utilizou a visita íntima ou social para para passar algum recado, que ele seja punido, da forma que a lei prescreve. Tem que se individualizar as condutas e não punir toda uma coletividade."

MP INVESTIGA AÇÃO DO PCC NOS PRESÍDIOS DO RIO GRANDE DO NORTE

Ao UOL, o Ministério da Justiça confirmou que houve a reunião, mas se limitou a informar que "os advogados solicitaram a revogação da medida que suspende as visitas íntimas, mas o diretor disse que não será possível revogar". 
Esse grupo de advogados entrou na Justiça Federal com um mandado de segurança coletivo para que a suspensão seja revogada judicialmente.
Pelo menos um preso já conseguiu reverter a medida do Depen. Na última segunda-feira (10), o juiz Marcus Vinicius Reis Bastos, titular da 12ª Vara Federal de Brasília, concedeu o direito de visitas íntimas e sociais ao detento Márcio dos Santos Nepomuceno, o "Marcinho VP do Complexo do Alemão", considerado um dos chefes do Comando Vermelho. Ele está detido no presídio federal de Mossoró (RN).
UOL 

By Silvano Silva ✔ | | Posted in | With 0 comments

 

Segundo  o professor Gean Monteiro,o mesmo sofreu perseguição politica por parte da secretária da educação do município de Mari/PB. Em sua página em uma rede social o professor fez um desabafo e falou do desrespeito com seu profissionalismo quando foi afastado da coordenação do Polo da  UAB na cidade sem nenhuma explicação. Após deixar a coordenação do Polo UAB , Professor Gean assumiu a presidência do SINDSMAR  e prometeu lutar pelos direitos do servidor municipal.Segundo informações o professor Fernando Viana, deixou o cargo por motivos de aposentadoria, assumindo assim, a sua vaga o vice presidente.

 "Assumi a Presidência do Sindicato e serei agora a pessoa que estará à frente das lutas pelos direitos dos Servidores, inclusive, para defender os inúmeros servidores que estão sendo perseguidos por essa gestão que não respeita direitos, não responde aos ofícios, persegue servidores, não reajusta os salários de alguns servidores conforme determina a Lei, faz descontos indevidos nos contracheques de servidores (tudo isso temos ações de filiados na justiça) e paga salários desproporcionais à aliados".
"Chega de Perseguição! Servidor merece respeito! Vamos em frente! Em breve novidades no SINDSMAR". Relatou Gean Monteiro.

 Com a palavra a assessoria de comunicação ou a própria secretária de educação. 


Da Redação do Folha do  Araçá
By Silvano Silva ✔ | domingo, 16 de julho de 2017 | Posted in | With 0 comments


A vereadora da cidade de Mari, Zona da Mata da PB, Marilene Rufino concedeu entrevista ao Programa Liberdade de Expressão da Rádio Araçá FM na manhã desta quinta-feira (13) para avaliar seus primeiros seis meses de mandato na Casa José Paulo de França.

A parlamentar, que está em seu primeiro mandato, disse que imaginava a política de uma forma diferente, mas que quem está envolvido no processo político sabe que não é como se imagina. “A política não é como se imagina, pensamos que no mandato podemos resolver todos os problemas, mas não podemos”, avaliou.
Questionada pelo radialista Marcos Sales sobre os comentários de que esta seria a pior legislatura nos últimos anos da Câmara de Mari, Marilene reagiu com veemência e disse que o trabalho parlamentar não se dar apenas dentro do plenário e citou o exemplo do seu trabalho  nos bairros. “Falo por mim, sei que o trabalho não se dá apenas no plenário da câmara, estou reunindo as comunidades, ouvindo as reivindicações, como foi no Bairro Procanor, tomamos nota das cobranças e levamos para a Câmara para debater e reivindicar do executivo”, disse.
O seu trabalho na área social também foi discutido quando a comunicadora Mayara Paiva questionou o fato de alguns vereadores eleitos virem da área da saúde, como é o caso da própria Marilene. “Sempre fiz esse trabalho que vem do tempo de meu pai e a ausência de uma saúde boa fez com que as pessoas procurassem alternativas por conta própria e ai nos procuravam para que com nosso conhecimento pudêssemos encaminhar as demandas e isso ajudou muito no sentido das pessoas reconhecerem esse nosso trabalho”, analisou.
Marilene de Chico Corretor, como é conhecida, falou de inúmeros requerimentos de sua autoria e projetou muitos outros para o próximo período legislativo.
Sobre a gestão do Prefeito Antonio Gomes, Marilene disse que o projeto de mudança apresentado pelo prefeito começa a ser implantado, mas precisa focar na geração de emprego e renda: “vereador não dá emprego, vereador fiscaliza o executivo e legisla para melhorar a vida das pessoas, portanto, o poder executivo precisa estudar uma maneira de criar essas políticas públicas”, aconselhou ao mesmo tempo que enalteceu o que já vem sendo realizado pelo Prefeito de Mari.
A parlamentar respondeu perguntas dos ouvintes e reafirmou seu compromisso com os anseios da comunidade, sempre ao lado dessa mudança sonhada em campanha: “eu tenho lado, estou do lado da mudança, essa foi a nossa estratégia da campanha, por isso que lutaremos ao lado do nosso prefeito e de todos os que almejam construir essa mudança em nossa cidade”, finalizou Marilene Rufino que estava acompanhada do esposo, Fábio Contador, da mãe, Dona Neuza Rufino e de alguns amigos.
Da Redação 
Do ExpressoPB
By Silvano Silva ✔ | quinta-feira, 13 de julho de 2017 | Posted in | With 0 comments

Na tarde desta quarta-feira (12), por volta das 16h30min, a guarnição do Radiopatrulhamento, composto pelo Sd Lucas e Sd Galdino, foi acionada pelo Copom da Companhia a respeito de dois indivíduos em uma motocicleta preta praticando assaltos na cidade de Sapé.

De pronto, com os informes repassados, a guarnição iniciou as diligências em busca de localizar os suspeitos, nas proximidades da entrada do sítio cuité, entre Sapé e Cruz do Espírito Santo foram vizualizados, momento em que foi determinado ordem de parada e os mesmos empreenderam fuga.

Na perseguição foi possivel vizualizar o garupa com arma em punho e após intensa perseguição os mesmos foram alcançados e na abordagem foi constatado que os mesmos, além do revólver, estavam de posse de seis celulares, uma carteira, dois relógios e a motocicleta titan cg 150, placa MOR 9931, que segundo os suspeitos, haviam roubado em Cruz do Espírito Santo.

Ambos foram conduzidos, junto com material apreendido a delegacia de Sapé.

3Cia!
Ações que não param!
Com assessoria da 3cia/7BPM



By Silvano Silva ✔ | | Posted in | With 0 comments

Uma foto com estudantes do curso de agronomia da Universidade Federal de Goiás (UFG) causou repercussão nas internet devido às camisetas usadas por dois deles, com os dizeres: "Menos amor, mais glifosato, por favor". O produto é um tipo de agrotóxico potente usado para matar ervas daninhas em plantações e, se aplicado de forma incorreta, pode causar danos graves às lavouras, segundo especialistas.
A Associação Atlética Acadêmica Agronomia, que confeccionou as vestimentas, informou ao G1 que o intuito não era fazer apologia ao herbicida, e que foi criada uma "polêmica sem sentido" sobre o caso. Segundo o grupo, o "glifosato" da camiseta faz referência ao nome de uma bebida preparada pelos estudantes há anos, e não ao agrotóxico.
G1 não conseguiu contato com os estudantes que aparecem na foto até a publicação desta reportagem.
A imagem foi feita no último dia 8 de junho, logo após uma palestra da Agência Goiana de Assistência Técnica, Extensão Rural e Pesquisa Agropecuária (Emater). Na ocasião, duas servidoras do órgão, que também aparecem na foto, falaram sobre o uso de soja na alimentação humana. A apresentação ocorreu dentro do Agro Centro-Oeste Familiar (Acof), evento anual que, desta vez, foi organizado e aconteceu dentro da UFG, em Goiânia.
A foto, juntamente com uma reportagem sobre o evento, foi publicada tanto no site quanto nas redes sociais da Emater. Porém, em virtude da repercussão negativa, todas foram excluídas.
Em nota enviada ao G1, a assessoria de imprensa da Emater informou que não tem "qualquer ligação com a produção ou o incentivo ao uso da camiseta". Destacou ainda que, por respeitar o direto à liberdade de expressão, "não realizou qualquer tipo de censura relacionada ao uso da camiseta".
Por fim, a agência pontuou que "reconhece, colabora e incentiva toda e qualquer prática sustentável de produção agropecuária apoiada em procedimentos seguros e ambientalmente corretos, afiançados pela legislação vigente".
A UFG, também por meio de nota, se manifestou dizendo que a instituição não tem "qualquer ligação com a produção ou o uso da camiseta usada pelos estudantes e que defende o uso de práticas sustentáveis de produção, de acordo com a legislação vigente".
Até o semestre passado, camiseta pedindo 'mais glifosato' era vendida a R$ 35, sendo duas por R$ 60 (Foto: Reprodução/Instagram)Até o semestre passado, camiseta pedindo 'mais glifosato' era vendida a R$ 35, sendo duas por R$ 60 (Foto: Reprodução/Instagram)Até o semestre passado, camiseta pedindo 'mais glifosato' era vendida a R$ 35, sendo duas por R$ 60 (Foto: Reprodução/Instagram)

'Não é apologia', diz Atlética


O presidente da Assosiação Atlética, o estudante Guilherme Lima, criticou a polêmica criada sobre o caso e disse que a camiseta não tem como ideia fazer qualquer tipo de apologia ao uso da substância. Ao G1, ele afirmou que o termo "glifosato", neste caso, remete ao nome de uma bebida.
"Todo curso tem seu 'mé' (sic), que é uma bebida característica. Cada um coloca o nome relacionado ao curso, algo engraçado e distorcido do que realmente é. A gente usa o sentido contrário das coisas. A polêmica foi criada pelo politicamente correto, que pegaram apenas um lado da história", afirmou.
Ainda de acordo com Lima, a tal bebida do curso de agronomia já é chamado de glifosato há alguns anos. A associação chegou a comercializar as camisetas pelo Instagram ao preço de R$ 30. Porém, o universitário disse que venda se restringiu ao último semestre, uma vez que novos modelos são criados neste período.
Apesar de não acreditar que a situação interferiu de forma negativa, o presidente da associação revelou que ficará mais atento para que situações similares não voltem a ocorrer.
"Vamos tomar mais cuidados. Estamos em um período que qualquer coisa que você diz ou faz, tomam partido e acabam te prejudicando", salienta.

Riscos do glifosato


Um dos defensivos agrícolas mais vendidos no combate a ervas daninhas, o glifosato é considerado bastante forte. Conforme explica o zootecnista e técnico em agropecuária Antelmo Teixeira Alves, sua aplicação direcionada da forma incorreta pode causar danos graves às lavouras. "A aplicação deve ser direto sobre a erva daninha que está causando o problema".

"Se caso houve contato direto com as outras espécies que se quer defender, toda a plantação será eliminada", afirma.

O produto está disponível em lojas agropecuárias e só pode ser adquirido mediante apresentação de um receituário agronômico. Ele pontuou que existem pesquisas que tentam relacionar o uso do glifosato com casos de câncer, mas não há nenhuma comprovação científica dessa situação.
A aplicação deve seguir os padrões do fabricante e ser realizada por profissional qualificado, utilizando todos os Equipamentos de Proteção Individual (EPIs). Também devem ser respeitadas questões de horário e climáticas.
Alves, que também é chefe de gabinete da Emater com 30 anos de experiência na área, criticou a exposição dos estudantes e disse que o órgão tem o compromisso de orientar para uma cultura de produção de alimentos cada vez mais saudáveis.
G1